Joias com diamante: como escolher a sua?

As joias com diamante são muito desejadas, principalmente por causa desta gema que possui brilho único e alta resistência, pois é a mais dura da natureza. Mas você conhece os fatores que determinam o valor dessa preciosidade?

Na hora de escolher joias com diamante, é fundamental conhecer características como raridade, cor, tamanho, peso e tipo de lapidação. Cada fator tem um peso na valorização da gema.

Para que você escolha suas joias com diamante, nós listamos as principais dicas e informações neste artigo. Acompanhe!

Como identificar se um diamante é verdadeiro?

Esse desafio é tentador e te ajuda a não levar gato por lebre. Uma solução é pagar um avaliador de boa reputação, porém o custo é altíssimo. Mas há uma alternativa bem interessante e sem custo.

Joalherias de confiança só comercializam diamantes com procedência comprovada. Eles vêm com um documento que é parecido com o nosso RG (Registro Geral), cuja validade é global.

O documento do diamante descreve todas as características da gema. Desse modo, é possível que avaliadores de qualquer parte do mundo consiga avaliá-la, facilitando a comercialização legal.

O preço das joias com diamante tem a ver com o tamanho da gema?

Nem sempre. Na hora de precificar um diamante, quatro fatores são levados em conta: a pureza, a cor, o peso e a lapidação. Eles são chamados de 4 C’s, porque em inglês são: clarity, color, carat e cut.

Quando os diamantes são avaliados, os profissionais utilizam graduações e escalas de padrões internacionais para os fatores. É por meio do cruzamento dos resultados que os especialistas chegam ao valor de cada gema.

Sendo assim, uma joia com um pequeno diamante, mas excepcionalmente incolor (branco), pode ter um preço superior ao de uma gema maior, de tom marrom.

O que são os pontos do diamante?

Ao navegar pela loja online da Bigben, você com certeza notou que cada diamante tem uma quantidade de pontos. Mas o que será isso? A gente te explica!

Quando se fala em quilate, isso significa o equivalente a 200 miligramas. Na prática, trata-se de uma pedra grande, muito difícil de ser encontrada na natureza.

Por causa dessa dificuldade, criou-se um sistema de medição em pontos, que subdivide o quilate. Então, cada ponto equivale a 0,01 quilate, o que possibilita a medição de pedras menores, que são mais comuns.

Algumas pessoas acabam misturando os termos, o que acaba acontecendo. No lugar dos “10 pontos”, falam “10 quilates”. É o caso deste Anel Solitário de Diamante, de 10 pontos.

joias com diamante

Existe uma coloração de diamante mais rara que o branco?

Sim, o diamante cor-de-rosa. Ele é mais raro que o branco, portanto, há a possibilidade de que tenha um custo maior. No entanto, isso não é uma regra.

Além do diamante cor-de-rosa, você pode encontrar outras cores raras. É o caso da amarela, azul, verde, vermelha e violeta.

Também é importante saber diferenciar diamantes de zircônias, brilhantes e strass.

Como diferenciar o diamante das zircônias, brilhantes e strass?

Vamos começar pelo diamante, a pedra preciosa mais resistente e cara do mundo. Trata-se de uma gema de origem mineral, portanto, forma-se a partir do carbono ao longo de um processo que dura milhões de anos.

Esse processo acontece por baixo da terra, em condições favoráveis para tal, ou seja, alta pressão e temperatura. É tanta pressão que nenhum outro mineral consegue arranhá-lo, a não ser outro diamante.

Sobre o formato, o mais conhecido é o brilhante. Vem daí uma confusão bem comum: chamar o diamante de brilhante.

Já o cristal vem a partir de um processo chamado de nucleação, quando uma substância se dissolve em outra. Quando as estruturas se juntam, formam uma maior, mas que acaba se dissolvendo com o tempo.

O tcheco Daniel Swarovski inventou uma máquina que revolucionou o processo de cortar os cristais, permitindo uma precisão milimétrica. Por isso, os seus cristais são mundialmente conhecidos como uma imitação do diamante, porque o brilho e a beleza são próximos, mas jamais iguais.

A zircônia é encontrada em dois tipos. A primeira, baddeleyíta, é encontrada na natureza. E a segunda é a cúbica, feita em laboratório.

No caso da cúbica, o seu objetivo é imitar o diamante. É uma pedra que tem excelente qualidade e brilho, portanto, alguns especialistas a consideram a melhor imitação da gema natural.

Mas aqui vai uma dica para você saber identificar quem é quem: como o diamante é natural, ele tem imperfeições na parte interna. Já a zircônia não tem pontinhos pretos ou riscos por dentro.

Dá uma olhada nesse Brinco Solitário de Zircônia e Ouro. A pedra é grande e com a ferramenta de zoom da nossa loja dá para ver que é supertransparente.

joias com diamante

Outra dica é observar as cores quando a luz atravessa as pedras. Na zircônia, as cores do arco-íris são mais brilhantes. E sobre o peso, os diamantes são mais leves, então basta comparar ambas quando têm o mesmo tamanho.

E o strass? Também é uma pedra sintética, criada pelo francês George Friedrich Strass. O objetivo dele: criar algo com o brilho similar ao do diamante. Por isso, o strass não deixa de ser um cristal, mas é feito a partir de estilhaços de vidros ou plásticos dissolvidos em pó ou película de metal.

De todas as pedras sintéticas, é a que possui o menor custo. No entanto, isso se reflete em sua qualidade.

É verdade que os diamantes são eternos?

Já que o diamante é a pedra mais dura da natureza, será que é eterna? A resposta é: não. Como você viu anteriormente, ela pode ser riscada por outro diamante.

Além disso, também pode quebrar. Por isso, cuide direitinho do seu, combinado?

Agora que você é expert em joias com diamante, aproveita para maratonar nosso blog e ver outros conteúdos sobre o assunto!

Leia Também